Retro City


Barbie e a indústria do entretenimento.
20 de agosto de 2012, 23:39
Filed under: Diversos, Humor, Vídeos | Tags: , ,

Ultimamente ando assistido vários filmes da Barbie com a minha filha Valentina. Ela adora os filmes da Barbie, e eu acabo descobrindo algumas coisas interessantes.

Por exemplo, essa cena retirada do filme Barbie Moda & Magia serve para analisar a indústria de entretenimento. Depois de assistirem o vídeo vejam só o que quero dizer.

A Barbie representa o lado ARTÍSTICO. Ela é genuína e cheia de preocupações estéticas, ela quer se expressar através da sua arte, mas para isso precisa de liberdade criativa, o que acaba esbarrando no lado comercial, que é quem controla o seu trabalho.

Todd, o diretor do filme representa o lado COMERCIAL. Ele é quem realmente decide tudo e não se importa com o lado artístico, apenas quer deixar tudo o mais fácil de vender possível. Uma das formas preferidas de se fazer isso, por exemplo, são pegar obras de sucesso (entenda-se lucrativas) e produzir várias outras parecidas. Ou seja, fazer a coisa menos criativa e original possível (se bem que um filme da Barbie com zumbis seria nenhum pouco comercial, e era a Barbie que não queria que a história da Princesa Ervilha ficasse original demais).

Spencer, o assistente do diretor representa o papel da MÍDIA. Ele observa, registra, aprova e ainda incentiva o lado comercial. Isso é porque a mídia e o show business são muitas vezes uma coisa só, ou então pertencem ao mesmo dono, o que dá no mesmo.

A tiazona de vestido verde representa o FÃ NERD, que enxerga o óbvio: sempre que o lado comercial passa por cima do lado artístico o resultado é catastrófico. Todo o fanboy acredita que tem solução para todos os problemas da indústria do entretenimento, e que se dependesse dele não existiriam mais filmes, seriados ou quadrinhos ruins. Mas o que ele fala quase não importa.

Já as ERVILHAS-ZUMBIS representam o artista que se submete a visão comercial. Quando os conflitos criativos se tornam insuportáveis, ou o artista se torna uma ervilha-zumbi, ou é substituída por uma. Mas trabalhos muito comerciais costumam ser menos lucrativos também, e esse é o grande dilema da indústria do entretenimento, o artístico e o comercial não sobrevivem sozinhos.

Resumindo: o lado artístico só se dá mal; o lado comercial faz o que quer; a mídia está por trás de tudo; o nerd reclama e não adianta de nada; e zumbis já viraram piada até no filme da Barbie